domingo, 22 de dezembro de 2013

Desejos da Coisinha

Tinha eu uns três ou quatro anos e meus pais queriam tirar a mamadeira (não me perguntem o motivo de querer retirar a mamadeira tão cedo, mas enfim). Fomos com a familia toda para a casa do meu avô no interior de Minas e meus pais acharam que seria bom "esquecer" a minha mamadeira na nossa casa já que estariam muitos primos por lá e assim eu os vendo sem a mamadeira me comportasse melhor. Já no fim primeiro dia eu me aproximei da minha prima (hoje comadre) Francisca: - Francisca, por favor, por favor, por favooooooooor, vai lá na rua (no centro) e compra uma mamadeira pra mim, estou com tanta vontade de tomar um leitinho na mamadeira. Aí, logico que a Francisca não se conteve, foi comprar a minha mamadeira, mas antes perguntou aos meus pais se havia algum problema e eles responderam que não. Quando mais tarde, meu primo Juninho pergunta pra minha mãe se ela deixava ele também usar a minha mamadeira, o que ela obviamente permitiu.































































































































































































































terça-feira, 27 de setembro de 2011


Era uma vez uma menininha que morava em uma fazenda. Nesta fazenda havia plantação de cana de açucar que também era usada para fazer cachaça artesanal, como em várias fazendas daquela região.
Um dia a mãe da menininha deu a falta dela e pediu que seus irmãos e irmãs, assim como aos funcionários da fazenda a procurassem e ninguém encontrava.
A mãe e o pai da menininha começaram a ficar preocupados pois ninguém a encontrava. Pela fazenda passava um riacho e ficaram com muito medo da menininha ter se afogado, mesmo sabendo que ela sabia nadar.
Um conhecido da família chegou na fazenda para comprar água ardente, quando abriram a porta do engenho, a menininha estava lá, dormindo, completamente embriagada.
Ela havia passado por entre as tábuas da parede do engenho para brincar e viu umas gotinhas que pingavam de um dos tonéis, ela achou as gotinhas bonitinhas e pegou uma das tampas das garrafas, enchia com as gotinhas bebia, enchia de novo, bebia... até que deu sono e ZzzzzzzZZZzzzzzzzz

domingo, 7 de agosto de 2011

Amarilis

Quando eu estava fazendo o cólegio (na minha época se chamava segundo grau, hoje, nem sei mais), mas o que eu quero contar é que eu descia em um ponto de onibus que ficava bem proximo a uma floricultura que era daquelas que vendiam coisas indianas, exóticas e sei lá o que mais..... Quando eu saía pra escola, ela estava fechada porque ainda era muito cedo, quando eu voltava, fechada porque era hora do almoço (era uma loja pequena, devia ter só uma funcionária, não sei), eu só sei que nunca cheguei a entrar na loja, mas todos os dias eu ficava namorando uma flor que tinha lá dentro. Como a loja era bem arrumadinha, eu presumi que a flor deveria custar uma pequena fortuna, e sempre dizia pra minha mãe que tinha visto uma flor linda e que quando eu tivesse dinheiro eu iria comprar essa flor pra ela, blablabla. Minha mãe morria de curiosidade em saber que flor-mais-linda-do-mundo  era essa, mas nunca pude mostrar a ela....
Um belo dia, vamos até a cidadezinha que meus pais nasceram e lá minha mamis me chama para visitar uma prima do meu pai, cujo marido havia falecido havia pouco tempo. Era um lugar que eu nunca havia ido, mas nem era longe, fomos de carro até um certo trecho e depois começamos a caminhar por uma estradinha de chão batido, quando, para minha surpresa, apos uma curva, eis que surge a minha frente, pelos dois lados do caminho que caminhávamos, campos compeltamente floridos da minha flor!!! Vocês não imaginam como eu fiquei. parecia que eu tinha caído dentro de um filme das princesas Disney! Eu comecei a gritar
- Mãe, mãe, olha a minha flor!!!  - Olha mãe, ela não é linda????? É a flor que eu disse que queria comprar pra senhora.
Ninguem pode imaginar a cara da minha mãe, absurdamente decepcionada!
- Mas é essa a flor-mais-linda-do-mundo?????? Isso se chama Açucena, é mato aqui na nossa região!
Aaaaaaaaaa, gente, pode até ser comum lá onde ela nasceu, mas pra mim não é. Pra mim, a açucena, ou Amarilis é a flor-mais-linda-do-mundo! Tanto que a minha logo marca foi feita tendo como base uma flor de amarilis e tenho um quadro cheio delas no meu quarto. Sempre que vejo uma em uma floricultura ou mesmo no supermercado eu não resito e compro, porque, ao contrario do que eu pensava, ela nem é tão cara assim.....



Olha aí, a flor-mais-linda-do-mundo!!!!

sexta-feira, 5 de agosto de 2011

Não façam em casa!

Aimmmm gente, nem vou me desculpar pelo sumiço no Coisinha, vou fazer como sempre faço: o blog é meu, escrevo quando quiser neh??? Riariariaria.
Bom esse post é prqa contar um pouco sobre a minha tia mais figura! irma da mamãe, tia Sinhorinha (sim o nome dela é esse mesmo) é super pancada. A ùltima dela foi a seguinte:
Estava Tia Sinhorinha voltando pra sua casa em BH (por motivos de segurança nao vou dizer o nome do bairro, só que é um bairro muito bom), andando a pé quando, na porta do condominio ela, parada na porta, fica procurando a chave dentro da bolsa. Aí um homem em uma moto pára ao lado dela e puxa a bolsa dela. Ela disse que achou que era algum conhecido do condominio e pausadamente (sim, ela fala pau sa da men te ) perguntou ao suposto vizinho:
- Uai fulaninho, o que você está querendo com a minha bolsa?
- Isso é um assalto dona! - respondeu o ladrão.
- Ah meu filho, não vou te dar minha bolsa não, porque aí dentro não tem nada que te interessa, aí só tem papel, contas, nem celular tem aí.
O larápio volta pra moto, coloca a mão embaixo da blusa, como se pegasse uma arma por entre "as partes intimas dele" e diz a ela:
- Vou te matar dona.
Ela, pau sa da men te , imagino eu, responde:
- Uai, você vai me matar por nada, porque não tem nada aí na bolsa que vá te ajudar.
E começou a dizer pro meliante que ele não devia fazer aquilo, que ele era tão jovem, blablabla.
O ladrao pede a ela um abraço. Ela vai ate ele e abraça...
Ele começa a chorar, ela também...
Ela começa a orar com ele. Eles se acalmam, ele se afasta e diz a ela que vai sair dessa vida...
Aí ela entrou.
O filho dela do meio (ela tem três) estava na casa dela e se assustou um pouco quando a viu entrar chorando e perguntou o que havia acontecido. Ela disse que havia sido assaltada e ele perguntou o que haviam levado.
- Não levaram nada meu filho...
- Ui mãe, então como foi esse assalto?  E ela contou...

terça-feira, 24 de maio de 2011

London London...

Quando o RPM tava na mega moda, eu era bem pequena, mas meu irmao mais velho ja era adolescente e ouvia muito aquele disco ao vivo deles e eu me lembro muito bem dele e da Karla Simone, nossa quase vizinha e muito amiga a cantar essa música, mas juro que nunca, nunquinha imaginei que iria conhecer essa cidade...
Pois é queridos, to indo ja ja a Londres e confesso, um pouco tensa com essa historia do vulcao que comecou a bagunçar o espaço aereo europeu. Vou tentar fazer um diário de viagem aqui, para os manter atualizados, mas veja bem que eu disse tentar...
Beijos, thau, minha amiga Kate, digo, Princesa Catherine Midleton me espera!
hehehehehe

Ela é sertaneja!

Gente, meu irmão mandou pra minha mamis o DVD da Paula Fernandes, e ela me deu pra ver. Olhei meio torto neh? música sertaneja me lembra Bruno e Marrone, Chitaozinho e Chororó, tudo eca! mas veja que, olhando a Paula (íntima já) dizer que ouvia aquelas músicas no rádio da avó dela, que ela era uma criança pobre do interior de Minas, ouvindo a interpretação dela, me dei conta que eu sou mega sertaneja! Não tem como negar, mineirinha do interior, infancia pobre (eu nunca passei fome, mas dizer que eu era rica é mentira!), acho que na verdade, dizer infancia simples é mais real, brincavamos na rua sem medo, íamos e voltávamos sozinhas da escola, nem telefone a gente tinha em casa! Meu pai tocava todas essas musicas que ela diz que escutava no radinho da avó....
Não tem como: a Coisinha é sertaneja!
Sou das Minas de ouro...

domingo, 15 de maio de 2011

Cacá Cruzeirense

Cruzeiro acaba de ser (mais uma vez), Campeão Mineiro de Futebol (sim, futebol, porque meu time poderia ser também campeao de atletismo, volei e muitos outros esportes que patrocina). Daí me lembrei do Cacá, aquele nosso papagaio do peito roxo que nos deixou saudosos. Caca era cruzeirense! Quantas tardes ele estava na sua gaiolona e do nada começava a cantar os hinos da máfia azul
"- Cruzeeeeeeeeeeiro,
 - Zêeeeeeeeero
- Zêeeeeeeeero....
Era tão lindo!
Ai que saudades do meu Caca!
Uma vez, fomos viajar, e o querido Caca ficou na casa de uns amigos Atleticanos, que tentaram por quase um mes fazer o bichinho chamar pelo galo, acham que ele aceitou? De jeito nenhum! Cacá não era vira-casaca não!
Queria muito ouvir ele gritando o "-Zêeeeeeeeero" hoje. Mas peraí, se eu fechar os olhos eu posso sim, ouvir o Cacá gritando.....
-Zêeeeeeeero...